Ir para o conteúdo
Estimados clientes. Encontramos-nos encerrados de 25 de novembro a 6 de dezembro. Qualquer assunto só será tratado após esta data. Gratos pela compreensão.

Novidades Política / Diplomacia

Raúl Rego, O último regimento da inquisição portuguesa, edições Excelsior, Lisboa, 1971

30 € Adicionar
Acresce o valor do transporte pelos CTT (de acordo com as tabelas em vigor para o correio registado ou não registado). Enviar email para informação de envio por correio.

Regimento do Santo Officio da Inquisicao dos Reinos de Portugal.

234 pp.; Il. B.

 

Raul de Assunção Pimenta Rego (Macedo de Cavaleiros, Morais, 15 de Abril de 1913 — Lisboa, 1 de Fevereiro de 2002) foi um jornalista e político português.

Biografia

Filho de Manuel José Rego e de Vitória da Purificação Pimenta Rego. De 1924 a 1936 frequentou o Seminário das Missões do Espírito Santo, em Viana do Castelo, tendo concluído o curso de Teologia. Acabou, no entanto, por abandonar a carreira eclesiástica, tendo-se mesmo tornado anticlerical.

Foi membro do Movimento de Unidade Democrática, o que o levou à prisão em 1945. Dirigiu os serviços de imprensa das candidaturas presidenciais dos generais Norton de Matos (1949) e Humberto Delgado (1958). Foi também preso em 1961, em 1965 e 1968 pelo «exercício de actividades contra a segurança do Estado», segundo a sua ficha na PIDE.

Enquanto jornalista, colaborou na Seara Nova, no Jornal do Comércio, no Diário de Lisboa e no República, do qual se tornaria director em 1971. Após o encerramento deste em 1976 fundou A Luta. Em 1974 tornou-se ministro da Comunicação Social do primeiro Governo Provisório. De 1975 a 1999 foi deputado pelo Partido Socialista, primeiro da Assembleia Constituinte e depois na Assembleia da República da I (1976) à VII (1999) legislatura. Também foi Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano de 1988 a 1990. Raul Rego foi o primeiro Presidente da Assembleia Municipal de Lisboa, eleito nas listas do PS nas primeiras eleições locais democráticas após o 25 de Abril, realizadas em 12 de dezembro de 1976.

Obras

• Horizontes fechados: Páginas de Política. Lisboa: Editorial Inquérito, 1969.

• Diário Político. Lisboa: Edição de Autor, 1969.

• O Caso do Bispo do Porto. Lisboa: Editorial República, 1973.

• Diário Político. Lisboa: Arcádia, 1974.

• Violência inútil. Lisboa: Dom Quixote, 1975.

• O Último Regimento e o Regimento da Economia da Inquisição de Goa. Lisboa: Biblioteca Nacional, 1983.

• História da República. Lisboa: Círculo de Leitores, 1986–88.

• Para um Diálogo com o Senhor Cardeal Patriarca. Lisboa: Europress, 1989.

• O Processo de Damião Goes na Inquisição. Lisboa: Assírio & Alvim, 2007.

Homenagens

Em 1976, o Congresso da Federação Internacional dos Editores de Jornais distinguiu-o com a Pena de Ouro da Liberdade.

Foi agraciado com o grau de Grande-Oficial da Ordem da Liberdade, a 30 de junho de 1980, e com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada a 2 de outubro de 1998.

No dia 15 de abril de 2013 foi homenageado na Biblioteca Nacional de Portugal pelo centenário do seu nascimento.

A Câmara Municipal de Lisboa prestou-lhe a sua homenagem ao atribuir o seu nome a uma rua na freguesia da Charneca, no Alto do Lumiar, cuja inauguração se fez no dia 3 de maio de 2005, Dia Mundial da Liberdade de Imprensa.

Bibliografia

• FOYOS, Pedro. O Combatente.

• PEREIRA, Teresa Sancha. Raúl Rego: 1913-2002: Jornalista. Lisboa: Câmara Municipal de Lisboa, Comissão de Toponímia, 2005.

• RÊGO, Raul; MASCARENHAS, João Mário (ed. lit.). Raúl Rêgo: O Combatente da Liberdade. Lisboa: Câmara Municipal - Biblioteca Museu República e Resistência, 2002. ISBN 972-8695-07-1

• Santos, Natália Sofia Neves dos (2014). Raul Rêgo: O Jornalista e o Político. Tese de mestrado apresentada em Coimbra, em 2007, sob a orientação do Prof. Doutor Luís Reis Torgal. Macedo de Cavaleiros: Poética Edições. ISBN 978-989-98509-4-1

• SARAIVA, José Hermano (coord.). «Raúl Rego» in História de Portugal: Dicionário de Personalidades. Lisboa: QuidNovi, 2004.


Scroll to Top