Orlando Ribeiro, Portugal o mediterrâneo e o atlântico, esboço de relações geográficas, Livraria Sá da Costa editora, Lisboa, 1963 (2ª edição revista actualizada).

40 € Adicionar
Acresce o valor do transporte pelos CTT (de acordo com as tabelas em vigor para o correio registado ou não registado). Enviar email para informação de envio por correio.

Orlando da Cunha Ribeiro (Lisboa, 16 de Fevereiro de 1911 — Lisboa, 17 de Novembro de 1997), foi um geógrafo e historiador português.

Biografia

Ribeiro dedicou toda a sua vida ao ensino e investigação em Geografia, e é a justo título considerado como o renovador desta ciência em Portugal. Foi também o geógrafo português do século XX com mais projecção a nível internacional. A sua vasta obra inclui não só estudos científicos na Geografia, mas revela também uma diversidade de interesses intelectuais invulgares. Orlando Ribeiro licenciou-se em Geografia e História em 1932 e veio a doutorar-se em 1935 pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa com a tese A Arrábida, esboço geográfico. Entre 1937 e 1940 (durante a guerra) viveu em Paris, e trabalhou na Sorbonne, com Marc Bloch, Emmanuel de Martonne e A. Demangeon. Em 1940, foi nomeado Professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, mas rapidamente se instalou em Lisboa. Em 1943, já em Lisboa, fundou o Centro de Estudos Geográficos.

Da sua intensa actividade científico-académica destaca-se Portugal, o Mediterrâneo e o Atlântico. Em 1966, o Centro de Estudos Geográficos começou a publicar a revista Finisterra, que foi e continua a ser a principal publicação da Geografia portuguesa, com projecção internacional. Também colaborou na Revista Municipalde Lisboa (1939-1973)

O interesse intelectual de Ribeiro pela História, Antropologia e Etnografia foi desenvolvido essencialmente enquanto discípulo de David de Melo Lopes e de Leite de Vasconcelos. Ribeiro lançou-se também na Geologia com Carlos Teixeira. Trabalhou ainda com Juvenal Esteves, Barahona Fernandes e Celestino da Costa.

Recebeu o grau de Grande-Oficial da Ordem da Instrução Pública a 7 de Agosto de 1981 e o grau de Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada a 20 de Junho de 1987.

Foi casado com a também geógrafa Suzanne Daveau.

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Por deliberação da Câmara Municipal de Lisboa, em 1997 foi atribuído o seu nome a uma rua no Paço do Lumiar, entre a Rua Professor Alfredo de Sousa e a Rua Professor Fernando de Mello Moser.

Tem uma Biblioteca com o seu nome em Telheiras, Lisboa.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Finisterra
  • A Arrábida. Esboço Geográfico, (1935)
  • Portugal o Mediterrâneo e o Atlântico, (1945)
  • A Ilha de Fogo e as Suas Erupções, (1954 e 1960)
  • Portugal, (1955)
  • Mediterrâneo. Ambiente e Tradição, (1968)


Scroll to Top