Governo Fascista Português, Último relatório sobre a situação geral do país do ex-ministério do Interior para a ex-PIDE/DGS, Edições Afrodite, Lisboa, Maio de 1974

45 € Adicionar
Acresce o valor do transporte pelos CTT (de acordo com as tabelas em vigor para o correio registado ou não registado). Enviar email para informação de envio por correio.

Publicação dos últimos relatórios da PIDE que deram entrada no dia 24 de abril de 1974.

Fernando Ribeiro Bento de Melo (Porto, 11 de Novembro de 1941 - Coimbra, 27 de Fevereiro de 1992).

Vida e obra

Oriundo de uma família tradicional do Porto, amigo de Natália Correia, Luiz Pacheco e outros intelectuais portugueses, um émulo de Salvador Dalí, foi o enérgico fundador das pequenas e excelentes Edições Afrodite1 , em 1965, que durante os anos finais do salazarismo causou escândalo e sensação em Lisboa, com a publicação de obras polémicas e proibidas, que conduziriam a diversos processos judiciais por ultraje aos bons costumes. Citem-se o Kâma-Sûtra - Manual do Erotismo Hindu (1965), a Antologia de Poesia Portuguesa Erótica e Satírica (1966)2 ., de Natália Correia ou A Filosofia na Alcova (1966) do Marquês de Sade3 . No início dos anos 80, teve uma breve exposição mediática ao ter participado como membro do júri do concurso A Filha da Cornélia na RTP, juntamente com Alexandre O'Neill, Beatriz Costa e Maria Elisa.

As extintas Edições Afrodite desempenharam, nessas décadas, um papel ímpar na divulgação em língua portuguesa de diversos autores fundamentais da contra-cultura (André Breton, Alfred Jarry, etc.). Ribeiro de Mello teve a inestimável colaboração de grandes tradutores, antologiadores e ilustradores como Ernesto Sampaio, Aníbal Fernandes, Manuel João Gomes, Eduardo Batarda, Martim Avillez ou Henrique Manuel.

As opções editoriais de Fernando Ribeiro de Mello (antecedidas já pela editora Contraponto de Luiz Pacheco) influenciariam outras editoras (do mesmo tipo ou não), nas décadas de 1970 a 1990, como a Editorial Estampa, a Editora Arcádia, a & etc (dirigida por Vitor Silva Tavares), a Assírio & Alvim (de Manuel Hermínio Monteiro), a Hiena Editora (de Rui Martiniano), a Fenda (de Vasco Santos), a Antígona (de Luís de Oliveira) e outras.


Scroll to Top