Frei Agostinho da Cruz, Obras, França Amado editor, Coimbra, 1918

50 € Adicionar

Exemplar encadernado, meia francesa.

Edição conforme a edição impressa de 1771 e os Códices manuscritos das Bibliotecas de Coimbra, Porto e Évora.

 

Agostinho Pimenta (Ponte da Barca, 3 de maio de 1540 - Setúbal, 14 de março de 1619), mais conhecido como Frei Agostinho da Cruz, foi um frade e poeta português. Nascido Agostinho Pimenta, adoptou o nome Frei Agostinho da Cruz aos vinte e um anos de idade quando se tornou frade arrábido. Professou no Convento de Santa Cruz, em Sintra, onde permaneceu durante cerca de quarenta e cinco anos. Passou depois pelo Convento de São José de Ribamar, em Algés, ingressando, mais tarde, no Convento da Arrábida, onde esteve durante quinze anos. Faleceu em 14 de março de 1619, na enfermaria da Anunciada (situada no bairro de Troino, em Setúbal, junto da igreja paroquial homónima). O seu corpo foi sepultado no Convento da Arrábida. Frei Agostinho da Cruz escreveu elegias, éclogas, odes, endechas e sonetos. As suas obras só vieram a lume no século XVIII com a publicação, em 1728, do Espelho dos Penitentes, e, em 1771, da colectânea Obras. Em 1918 foi publicada uma nova edição, por Mendes dos Remédios, incluindo alguns inéditos entretanto localizados[1]. Era irmão do poeta Diogo Bernardes.[2][3]  

Referências  1 ? CRUZ, Frei Agostinho. Obras de Frei Agostinho da Cruz, com prefácio e notas de Mendes dos Remédios. Coimbra: França Amado, 1918. Conforme a edição impressa de 1771 e os códices manuscritos das bibliotecas de Coimbra, Porto e Évora. Cf. ficha bibliográfica na PORBASE: Base de Dados Bibliográfica Nacional.  2 ? Cf. Frei Agostinho da Cruz, na página do Projeto Vercial.  3 ? VENTURA, Ruy. Frei Agostinho da Cruz : um poeta da liberdade. Versão reduzida do prefácio da antologia poética de Frei Agostinho da Cruz, editada pela Licorne, de Évora, no âmbito das comemorações centenárias do poeta.

Fonte Wikipédia.


Scroll to Top