Ir para o conteúdo

Livros por tema

Cassiano Branco, uma obra para o futuro, Edições Asa, Porto, 1992

Indisponível
Acresce o valor do transporte pelos CTT (de acordo com as tabelas em vigor para o correio registado ou não registado). Enviar email para informação de envio por correio.

CASSIANO Viriato BRANCO, Arquitecto, natural de Lisboa, nasceu a 13-08-1897 e faleceu a 24-04-1970. Era filho de Maria de Assumpção Viriato e de Cassiano José Branco, um pequeno industrial de Alcácer do Sal. Frequentou a Escola Primária que existia entre a Calçada da Glória e as Escadinhs do Duque, onde conheceu um futuro Engenheiro e colaborador de muitas obras, Ávila Amaral. Estudou na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa (ESBAL), onde se diplomou em 1932.

Arquitecto importante no contexto do modernismo elaborou numerosos projectos para edifícios de habitação em Lisboa. Insurgiu-se contra a arquitectura tradicionalista do Estado Novo, se bem que ele próprio, em determinadas circunstâncias, tenha projectado de acordo com o estilo oficial (português suave ou Dom João V) tal como aconteceu no projecto do arranha-céus da Praça de Londres. Contudo, neste edifício, as varandas são demasiado largas e protuberantes e as chaminés desproporcionadas em relação à escala do edifício, o que denota um tom subversivo e uma sátira à arquitectura do Estado Novo.

Contam-se entre os seus projectos: “Café Cristal” (Lisboa, 1940-1941), “Ourivesaria Sarmento” (Lisboa, 1951), “Café Londres” (Lisboa, 1951), “Éden Teatro” (Lisboa, hoje alterado para edifício de escritórios), “Hotel Vitória” (Lisboa, 1934), “Portugal dos Pequeninos” (Coimbra, 1937-1944), “Hotel do Luso” (1938), “Coliseu do Porto” (1939), com Júlio José de Brito e Mário Augusto Ferreira de Abreu, “acessos à secção colonial da Exposição do Mundo Português” (Lisboa, 1940), “Cinema Império” (Lisboa, 1948), transformado durante a construção e hoje completamente alterado, “Proposta para uma ponte sobre o Tejo” (1958), “Plano e urbanização para a Costa da Caparica” (1930), “Plano de urbanização da Cidade do Filme” (Cascais 1930), e “Plano de urbanização da Cidadela de Cascais” (1933).

Em 1958, apoiou a candidatura do General Humberto Delgado à Presidência da República, tendo então sido detido pela PIDE.

O seu nome faz parte da Toponímia de: Lisboa (Freguesia de Marvila, Edital de 10-08-1978); Maia; Porto; Sesimbra (Freguesia da Quinta do Conde).

Fonte: “Quem É Quem, Portugueses Célebres”, (Círculo de Leitores, Coordenação de Leonel de Oliveira, Edição de 2008, Pág. 102).


Scroll to Top